Talento

maio 31st, 2012 | 0 comments

N√£o se deve desperdi√ßar o talento das pessoas…

Cada um tem os seus talentos. Os que acham que n√£o s√£o talentosos, ainda n√£o se conheceram mais a fundo.

Pensar em desperdiçar talento deve soar mal para qualquer um. Me pergunto porque, mesmo com esse peso, nós vivemos nossas vidas ignorando os talentos das pessoas ao redor. E o campo de trabalho, onde o talento é tão urgente, eu passo nas mãos de vários superiores e, em todo canto, vejo desatenção ao talento dos funcionários.

√Č desaten√ß√£o! Ou m√° vontade de investigar, desinteresse pelo assunto.

Aos poucos percebi que o talento n√£o existe apenas no futebol. H√° os talentos art√≠sticos, l√≥gicos, intelectuais, intra e interpessoais, tantos quanto as intelig√™ncias m√ļltiplas de Howard Gardner, e destro de cada uma, v√°rios subtipos de talentos, alguns meros detalhes que mal conseguimos perceber com esfor√ßo.

Pois bem! Ando pensando num projeto de uma gincana para a escola, que funcione como um show de talentos, com a direção sempre pedagógica, pedindo licença gentilmente ao lazer (não acho que a escola deva ser local para lazer, pelo menos primariamente).

Não deve ser tratada como perda de tempo. Uma gincana assim, aliada ao meu outro projeto de utilizar o Guia do Estudante (teste vocacional) para autoconhecimento e orientação para o seu próprio talento, podem mostrar a todos quem são os bons redatores de reportagens, cantores, resolvedores de enigmas e mestres no desenho e na poesia, na ortografia, na velocidade e na flexibilidade, entre outros.

Imagino uma escola onde os alunos descubram suas potencialidades. Senão todos, ao menos alguns deles, pois essa inação, onde os formandos do terceiro ano saem sem saber que rumo tomar, e onde o professor de português não sabe que aquele seu péssimo aluno, é craque em matemática.

Precisamos começar a cultivar o interesse pelos talentos. Será ótimo reunir as pessoas a nossa volta, cada um brilhante no que faz. E, antes, todos precisam de autoconhecimento.

Essa foi uma das contribui√ß√Ķes que o livro do Sun Tzu me deu, quando me grudou na mem√≥ria esse tipo de trecho:

‚ÄúOs valentes lutam, os cautelosos se defendem e os s√°bios aconselham. De nenhum se perde o talento‚ÄĚ

Lero Lero acadêmico

maio 8th, 2012 | 0 comments

O Gerador de Lero Lero é uma brincadeira que simula falas que parecem extremamente sábias, mas que não passam de enrolação sem sentido.

Mas este aqui N√ÉO √Ȭ†Lero Lero, √© texto real de Universidade. Eu tentava entender o que viriam a ser vantagens competitivas sustent√°veis, e a sequ√™ncia que obtive foi esta:

“… por meios de capacidades e recursos estrat√©gicos sem paralelo, singularidades e peculiaridades ao contexto.”

D√° para entender tudo, n√£o d√°?

Contexto do quê, meu amigo?

Qual a diferen√ßa entre singularidade e peculiaridade? Vou levar um minuto s√≥ para interpretar estas duas palavras…

Abaixo o embromation acadêmico! Queremos estudar na universidade materiais didáticos compreensíveis.

Reforma das leis

maio 6th, 2012 | 0 comments

Vou transcrever, com minhas palavras, um trecho escrito por Pierre Joseph Proudhon, num livro colet√Ęnea que tenho:

“Ele [governo] far√° tantas leis que chocar√° interesses; e, visto que os interesses s√£o inumer√°veis, que as rela√ß√Ķes nascentes umas das outras se multiplicam ao infinito, que o antagonismo n√£o tem fim, a legisla√ß√£o dever√° funcionar sem parar. As leis, os decretos, os editais, as ordens, as decis√Ķes cair√£o em abund√Ęncia sobre o pobre povo.¬†Em algum tempo, o solo pol√≠tico ser√° coberto por uma camada de papel que os ge√≥logos ter√£o que registrar sob o nome de forma√ß√£o papez√≥ica, dentre as camadas do planeta.¬†A Conven√ß√£o, em tr√™s anos, um m√™s e quatro dias, gerou 11.600 leis e decretos. A Constituinte e o Legislativo n√£o produziram muito menos [...]¬†Voc√™ acredita que o povo e o pr√≥prio governo conserva sua raz√£o nesta bagun√ßa de leis?”

E é realmente uma bagunça de leis. Ou algum cidadão brasileiro comum sabe exatamente seus direitos e deveres? Alguém aqui já estudou o Código Civil ou Penal, a Constituição Brasileira, as Leis Trabalhistas, o Estatuto da Criança e do Adolescente ou a Lei Maria da Penha, para poder viver corretamente como cidadão nessa sociedade brasileira?

Não! Mas sabemos que todas estas leis que desconhecemos podem nos levar a prisão.

Na prática, vivemos brincando com a sorte, que nos dirá se o que fazemos, a cada momento, é passível de punição ou não.

Nem mesmo advogados conhecem todas as leis.

Qual matéria escolar, ou que tipo de professor, ensinaria ao menos um resumo legislativo às crianças?

At√© quando exigiremos conhecimentos das leis de tr√Ęnsitos dos futuros motoristas, sem exigir conhecimentos das demais leis da sociedade ao cidad√£o?

H√° puni√ß√£o sem haver conhecimento. √Č assim porque a organiza√ß√£o das leis √© uma bagun√ßa. A quantidade se sobrep√Ķe √† qualidade. Algu√©m precisa propor uma boa reforma para isto. Parece que a organiza√ß√£o das leis est√° perfeita, porque ningu√©m aparece para critic√°-la.

Só Proudhon. Eu sou fã dele.

Waldez Ludwig e o conhecimento

maio 3rd, 2012 | 0 comments

Conheco um vídeo do programa Sem Censura no qual as primeiras palavras do Waldez Ludwig foram estas:

“√Č uma transforma√ß√£o na economia toda, ent√£o o resumo da √≥pera √© assim:

  • N√≥s temos uma economia baseada em conhecimento (s√≥ se vende, s√≥ se compra se tiver conhecimento);
  • Se ela √© baseada em conhecimento, o que importa mesmo √© a inova√ß√£o. O √ļnico fator de competitividade que sobrou pras empresas chama-se inova√ß√£o (capacidade de inovar);
  • Inova√ß√£o s√≥ vem de gente. Inova√ß√£o n√£o vem de m√°quina;
  • Ent√£o, o ser humano passou a ser a chave da estrat√©gias das empresas.”

√Č estranho ver pa√≠ses desenvolvidos mandando seus produtos serem fabricados na China. O conceito de pa√≠s desenvolvido j√° se separou do conceito de pa√≠s industrializado. Hoje, o pa√≠s desenvolvido produz conhecimento, inova√ß√£o, design, patentes, ou seja, atividades intelectuais.

Aos pa√≠ses pobres, a ind√ļstria e sua polui√ß√£o; aos pa√≠ses ricos, a intelig√™ncia por tr√°s da produ√ß√£o.

Mas as patentes podem garantir que seu produto não será copiado. Já a ideia, o conhecimento, ele pode ser copiado por todos. Então, a maneira de manter-se no topo é renovar o conhecimento antes dos concorrentes, ter novas ideias: por isso, a inovação.

E, como máquina não inova, o centro da produção voltou a ser o funcionário. E isso afeta diretamente a estratégia das empresas.

Ali√°s, outro dia eu compreendi o que significa o termo “estrat√©gico”, em administra√ß√£o. Est√° relacionado aos rumos que a empresa deve seguir, √†s decis√Ķes que os executivos devem tomar, a busca por vantagens competitivas que possam dar um caminho lucrativo.

E vantagem competitiva é um pequeno monopólio de curto prazo, algo que seu produto tem que os outros não tem, e que leva as pessoas a comprá-lo.

Faz muita diferença compreender isso e nos deixa anos luz dos conceitos de administração de décadas atrás.

Sobre estes temas, recomendo estes dois vídeos do Waldez Ludwig.

Programa Sem Censura

Gestão Estratégica (SEBRAE)

E sobre a substituição da sociedade industrial pela sociedade do conhecimento, recomendo uma palestra de 13 partes do Marcos Cavalcanti: A nova sociedade do conhecimento

Miséria da banda larga

maio 3rd, 2012 | 0 comments

Hoje, tentei assistir ao Jornal da Record News online, em v√£o.

Há duas semanas, técnicos andaram mexendo nos cabos por aqui e a internet piorou.

Em fevereiro de 2004, a m√°xima velocidade de banda larga, onde moro, era de 1 Mega. Hoje, oito anos depois, continua de 1 Mega.

O You Tube não se importa com isso. Vários vídeos já abrem, por padrão, na qualidade de 360p. Antigamente, eu conseguia assistir vídeos em 240p, sem problemas, mas faz duas semanas que nem nesta resolução eu consigo. Vídeos em HD, nem em sonho.

Para piorar, o You Tube não permite mais que se pause um vídeo, para que ele carregue em background, enquanto navega em outra aba.

Eu quero saber até quando esta parte da população será tratada como CIDADÃOS DE SEGUNDA CATEGORIA.

N√£o preciso defender a import√Ęncia da internet, eu, que curso gradua√ß√£o √† dist√Ęncia, com aulas teletransmitidas. Seria dizer o que todos j√° sabem.

Mas quero mostrar o mapa de onde moro, para dar a ideia de como moro grudado √† segunda maior cidade brasileira, dentro da segunda maior regi√£o metropolitana…

E ainda assim tenho uma internet porca, que compartilho com meus vizinhos.

N√£o me passa pela cabe√ßa me mudar para um “bairro bom” e deixar que a popula√ß√£o desfavorecida se vire como pode.

Mas passa pela minha cabe√ßa escrever e publicar alguma coisa, que mostre que h√°, sim, uma divis√£o social, mesmo entre bairros vizinhos, em regi√Ķes metropolitanas superlotadas:

  • Cidad√£os de primeira categoria: com acesso aos servi√ßos, beneficiados pela concorr√™ncia entre as empresas e seus pre√ßos baixos;
  • Cidad√£os de segunda categoria: sem acesso ou com acesso prec√°rio, a servi√ßos controlados por monop√≥lios socialmente irrespons√°veis, com pre√ßos alt√≠ssimos.

Essa é a realidade (já diria o Datena)!

A empresa de banda larga não quer saber se a população precisa, se é importante, pois a preocupação dela é com o lucro.

Quem deve se preocupar com o conforto e as necessidades da popula√ß√£o, que √© o governo e todo o setor p√ļblico, onde estar√° nessas horas? N√£o faz nada? N√£o faz o seu trabalho de organizar a sociedade de maneira mais igualit√°ria poss√≠vel? Apare√ßa, governo, e ponha uma ordem nesse capitalismo selvagem!

Agora, tire suas pr√≥prias conclus√Ķes. Clique nas imagens abaixo, para v√™-las em tamanho normal.

Mapa do Google Earth com a regi√£o de baixa disponibilidade

Se eu subir num dos morros daqui, terei a vis√£o da refinaria, da Ba√≠a de Guanabara e do Aeroporto. Mas tenho uma velocidade de internet que algumas cidades dentro da Floresta Amaz√īnica j√° conseguiram. Qual √© a l√≥gica disso?

De carro, com tr√Ęnsito bom, saio de casa e, em 25 minutos, estou ao p√© do corcovado, observando o Cristo Redentor.

Disponibilidade m√°xima de 1 Mega para Oi Velox

J√° fazem 8 anos que me encontro com o conte√ļdo dessa tela. Vejo por a√≠ propagandas de 20, 50, at√© 100 Megas. Se h√° cem, por que n√£o consigo mais que um?

Dificuldade para assistir ao youtube

No centro da tela, é comum aparecer o ícone de carregamento. No canto inferior-direito, o painel de escolha de qualidade do vídeo.